top of page
  • Foto do escritorEquipe BIDION VASC

Limites da Escleroterapia com Espuma

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV-MG), promoveu um debate sobre o tema “Ponto e contra-ponto: discutindo os limites da escleroterapia com espuma”. A discussão foi realizada por meio de três casos clínicos, evidenciando resultados positivos e negativos. O primeiro caso, foi apresentado pelo Prof. Dr. Marcondes Figueiredo e debatido pelo Dr. Pedro Pablo Komlos, e se tratava de caso de paciente com forame oval patente (FOP), o qual fez com que a espuma aplicada se dissipasse em bolhas no átrio esquerdo e a partir disso conduzida ao cérebro, gerando o quadro clínico de isquemia cerebral transitória.

Já o segundo relato, apresentado pela Dra. Luciane Barreneche e debatido pelo Dr. Francisco Bastos, ilustrou tratamento com escleroterapia em paciente com quadro grave de IVC pós tromboflebite. O terceiro caso apresentado por Dr. Carlos Eduardo Jorge e debatido pelo Dr. Fábio Goulart, ilustrou tratamento pouco usual de escleroterapia com espuma em membros superiores, com resultado positivo.



Comments


bottom of page